Aqui estão os eventos em que participo: exposições, prêmios, trocas de gravuras, intervenções urbanas e o que mais acontecer.

Para acompanhar concursos, exposições, lançamento de livros e curiosidades, visite meu outro blog:
http://gabinetedecuriosidades.blogspot.com/

Maria Pinto

19 setembro 2017

exposição TOQUE - Galeria Fórum das Artes - Botucatu - SP

Projeto TOQUE


O Projeto TOQUE promove a realização de instalação colaborativa centrada na temática do autorretrato. O conjunto em alto-relevo será instalado em painéis ou paredes, de forma a estimular o toque por parte do observador, visando assim ampliar e aprofundar o processo de fruição artística, incluindo nele pessoas com deficiência visual.
O conjunto reúne autorretratos faciais de igual formato, dimensão e técnica, colocando em foco discussões identitárias que remetem à relação individual/coletivo. Sua montagem poderá assumir diferentes configurações, de acordo com a natureza do espaço expositivo.
A instalação constitui uma obra em processo de autoria compartilhada, aberta a convidados, independentemente de possuírem formação artística ou não. O projeto será desenvolvido em rede, integrando pessoas de diferentes localidades. Articuladores locais cuidarão da logística de produção das peças, e, no caso dos participantes sem formação artística, estarão supervisionando a realização dos trabalhos.

Idealização e Produção
Hélio Schonmann

mais informações:

TOQUE na FUNARTE


TOQUE 

Instalação em processo | autoria compartilhada



A instalação TOQUE reúne autorretratos de pessoas com e sem formação artística, videntes e pessoas sem visão, pacientes psiquiátricos, entre outros. O apelo ao toque desconstrói o distanciamento - físico e simbólico - entre fruidor e obra, norma vigente em museus, galerias e espaços expositivos.

A instalação em processo vem sendo construída através de uma rede de oficinas, que hoje abrange nove municípios paulistas. APAE TATUÍ, União dos Deficientes de Jundiaí e Região (UDJR), CAPS - Centro de Atenção Psicossocial II de Salto de Pirapora e CECCO – Centro de Convivência e Cooperativa Eduardo Leite Bacuria, São Paulo, são algumas das instituições que participam dessa rede.


O projeto promove, na FUNARTE SP no dia 11/09/2017, uma oficina voltada para os profissionais da saúde e da cultura,visando proporcionar experiências e a integração entre campos do conhecimento, bem como a produção de novos autorretratos, incorporados à instalação em mostras futuras.


Idealização e produção
Hélio Schonmann

Curadoria
Lilian Amaral

Oficina
Hélio Schonmann e Lúcia Neto

Coautoria
Alex Leite, Anderson Pedroso Jesus de Assis, Artur Takata, Bruna Valença Mallorga, Camila Zanon Paglione, Carolina Pardo Miceli,  Corina Eyler Blunt, Deinze Aparecida Cizotto, Doralice Clemes,  Eliete de Fátima Basílio Cândido, Francisco Antônio Affonso,Filipe Felix Pereira, Maria Taub Assad, Maria Hortência Santos Correia, Marcilio Bernardes,Maricel Fermoselli, Mariana Lira, Monalisa dos Santos Teles, Pricila, Paloma Neves, Regina de Sá, Roberta Alberti, Roberto Nepomuceno, Rosemary Aparecida Flores, Sandra Maria  Brizzi, Silvia Miceli, Suely Arnaldo

13 setembro 2017

exposição comemorativa 30 Anos do Museu Casa da Xilogravura

Na Casa da Xilogravura, a Exposição Comemorativa dos 30 Anos do Museu apresentará, em paredes ou em álbuns, obras de 134 gravadores e estará aberta de 23 de setembro de 2017 até 28 de fevereiro de 2018, no horário das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas, de quinta a segunda-feira. (O Museu fecha às terças e quartas-feiras. Fecha também de 1 a 25 de dezembro.)

Tendo em vista limitações do espaçoexpositivo e circunstâncias da seleção, 70 outros gravadores, que também participaramdas comemorações, não terá seus trabalhos expostos. Vários deles, entretanto,poderão vir a ser incluídos em exposição futura.

Dia 23 de setembro de 2017, todos os 204artistas que enviaram gravuras receberão, no Museu, seu Diploma deParticipação, sendo que os premiados receberão o Diploma de Premiação. Osartistas que não comparecerem ao Museu receberão seus diplomas pelo correio.
Seguem adiante os nomes dos artistas cujas obras serão exibidas na Exposição dos 30 Anos:

Addissenyde Carvalho Ganem - Adriana Aparecida Paula Migotto - Afrânio Angelo do Prado Ornelas - Alfredo Neves Junior - Ana Calzavara - André Acosta Chiesa - André Reis Balsini - Arlete Cousandier Santarosa - Arluce Maria Jesus Gurjão - Arnilson C. Montenegro Jr.- Artur de Andrade Soares - Atalie Rodrigues Alves

Beatriz Peigo de Oliveira - BetoNascimento (Roberto José do Nascimento) - Bruno de Andrade Campos

Camilo Thomé - Carlos Henrique Soares - Carolina Lopes - Cava (Wilson Furtado Cavalcanti) - Celestino Neto (Celestino Corrêia de Freitas Neto) - Célio Rosa - Christine da Silva Pereira - Cleiveane Dirlean Luchese - Cristina Rios Leme

Denise Müller - Dennis Vecchione - Dione Rabelo - Ede Galileu da Silva - Edilson Oliveira da Silva

Eduardo da Silva Faria - Eliana Leonir Monteiro Gonçalves

Fernanda Silvestre Grabner - Francisco Bandeira

Gabriel Vieira - Gilvan Lopes de Souza - Goári (Elvis de Arimatéia Gomes) - Gustavo Nonato

Helio Schonmann - Heraldo Candido

Ilse Klasing Sparovek - Isabella Pugliese Chiavassa - Ivan Zancan

Joacir Lyra Esteves - João Carlos Lima de Morais - João Moura - Josafá de Orós - José Fernando Leite - José Guilherme Prada - José Milton Turcato - José Ximenes de Lima - Josilene de Oliveira - Júlia Bastos de Souza - Julian Campos

Kamila Fernandes Vasques - Keila Rosa

Leandro Serpa - Leonísio Vinicius - Lilian Arbex (Lilian Valeska P. Vitral) - LouiseFreire Tenuto - Lucas de Andrade Novo - Lucas Parotte Rosa - Luciana Taniguti Bertarelli - Luis Matuto (Luis Fernando Tavares dos Reis) - Luiz Ziul (LuizFernando da Silva) - Luiza Arantes Nasser

Magali Camacho Garcia - Manoela dos Anjos Afonso Rodrigues - Marcílio Tabosa de Castro - Maria Lúcia Ribeiro - Maria Regina Pinto Pereira - Maria Thereza Tonus - Mário Valdanini - Marisi Mancini - Marlene Maciel - Marlene Perlingeiro Crespo - Matheus Ferreira

Nauer Spíndola

Omar Jee (Omar dos Santos Filho)

Paula Paschoal (Paula Maria Cataldi Paschoalda Costa) - Paulo Camillo Penna - Paulo Pardini - Pedro Paulo Santos - Pedro Yukio de Barros Hamaya - Pixote Mushi (Clodoaldo Almeida da Silva)

Raquel Midori - Renata Dias Maciel - Renato Mãozão (Renato Tupinambá de Abreu Jr.) - Renato Rea Goldschmidt - Ricardo Cuenca Junior - Ricardo Junqueira Barbosa - Ricco de Oliveira (Ricardo de Oliveira) - Rita de Cássia Araujo Lima - Roberval Rodan (Roberval Damião do Nascimento) - Rodrigo Cabello - Roger Marx - Rosane Viégas

Sebastião de Paula - Silvia Kimie Taira- Simone Barros Carbonare Jospin - Taís Godoy (Taís Pena de Castro) - Thiago Arruda - Thiago de Mello Brito - Thiago Montelli

Valderio S. da Costa - Valdirene R. SilvaGalvão - Vinícius Libardoni - Vitória Marques

Wagner Ferreira Neves - WilliamFelipe Lopes da Silva

Yara Bizutti Zamy (Francisca Zamy B. Provazi Pesci)

PRÊMIOS:
Anderson Wilcke (Grande Prêmio Casa daXilogravura 2017)
Diego Santana de Farias (Prêmio Descoberta Casa da Xilogravura 2017)
Djalma Toledo (Prêmio Mantiqueira 2017)
Francisco Horta de Albuquerque Maranhão (Prêmio Descoberta Casa da Xilogravura 2017)
Lucie Maria Schreiner (Grande Prêmio Reencontro Casa da Xilogravura 2017)
Marcia Santtos - Márcia Campos dosSantos (Prêmio Singularidade Casa da Xilogravura 2017)
Pedro Sanchez (Prêmio Descoberta Casa daXilogravura 2017)

MENÇÕES HONROSAS:
Adriano Gambim Rocha - Angela Leite -Cláudia Sperb - Fernando Gómez Alvarez -
Joyce Farias de Oliveira - Luisa Almeida - Maércio Lopes de Figueiredo Siqueira -Maria Angélica Chiang - Marly Calilo Bezerra - Milton Cazelatto - Miriam Aparecida Mendes -Tiago Costa de Sousa - Vermelho (Paulo Cesar Lenço)

Av. Eduardo Moreira da Cruz, 295 - J Andira, Campos do Jordão - SP, 12460-000
Telefone:(12) 3662-1832

08 agosto 2017

instalação em processo / autoria compartilhada - TOQUE - idealização e produção Hélio Schonmann - Salto SP

 






TOQUE
no Museu da Cidade de Salto

A instalação TOQUE embaralha categorias, reunindo autorretratos de pessoas com e sem formação artística, videntes e pessoas sem visão, pacientes psiquiátricos, entre outros. O conjunto colaborativo e inclusivo dissolve  limites, acolhe o diverso. Sua fisicalidade explícita e afirmativa convida à percepção multissensorial, combinando visão e tato e imprimindo um caráter lúdico à fruição. O apelo ao toque desconstrói o distanciamento físico – e também  simbólico - entre fruidor e obra, norma vigente em museus e galerias.
A instalação em processo vem sendo construída gradualmente, através de uma rede de oficinas, que abrange hoje nove municípios paulistas. APAE TATUÍ, União dos Deficientes de Jundiaí e Região (UDJR) e Centro de Atenção Psicossocial II de Salto de Pirapora  são algumas das instituições que  participam dessa rede. Um crescimento permanente e orgânico, que envolve também o público das mostras. O projeto parte de uma perspectiva relacional da arte, convidando o  fruidor a tornar-se co-autor. Com esse objetivo, promove no Museu da Cidade de Salto uma oficina, visando a produção de novos autorretratos, incorporados à instalação  em mostras  futuras.
Através do convite aberto à co-autoria, TOQUE dialoga com o território onde a exposição  acontece. A Itinerância do projeto, iniciada em São Paulo em 2016, no Museu de Saúde Pública Emílio Ribas (a obra participou da mostra Mais que Humanos. Arte no Juquery),  vai se confundindo assim com o próprio histórico de construção do conjunto colaborativo. A  expansão de sua dimensão física caminha pari passu com a expansão de sua abrangência geográfica.
A representação da autoimagem facial - tema da instalação - tem por objetivo  estimular o mergulho interior por parte dos criadores, o questionamento sobre aquilo que os singulariza  Articulando múltiplas expressões de subjetividade, TOQUE coloca em foco a relação  individuo/coletividade.  Na diversidade  impressa em matéria que se toca  e que se vê, cada autorretrato afirma-se como  identidade  individual  por contraste e  como identidade coletiva por semelhança. Nessa tensão, abrem-se  campos de indagação sobre o que somos. O humano se deixa entrever,  em sua grandeza e em sua precariedade.


Hélio Schonmann


CO-AUTORIA  - INSTALAÇÃO TOQUE  NO MUSEU DA CIDADE DE SALTO

Abel Filho, Adriano Gambim, Alex Roch, Altina Felício, Alzira Ballestero, Amanda Jambelli, André Carvalho,  Andrea Mendes, Angela Barbour, Angélica Simões, Ary Francon, Augusto Sampaio, Beatriz da Costa Thomé, Bruno Cardoso Silva, Bruno Nitz, Camilo Thomé, Carlos Miceli, Celina Carvalho, Cibele Marion Sisti, Cirino Raimundo Lucena, Cláudia Ketter Pinto Vieira, Claudia Mifano, Constança Lucas, Cristina Granero, Cristina Pereira,  Danilo Timich,  David William, Eiji Yajima, Elizabeth Pacchini, Elisabete Pereira de Nóbrega, Fábio De Bittencourt, Fernanda Rodrigues Vieira, Filomena Coleto, Francisca do Val, Felipe Corazza Teixeira Pinto, Gilberto Tomé, Gilmar Lima, Gisele Araújo, Glauber Manfio, Gui Martins, Hannelore Schonmann, Hélio Schonmann, Ildes Fernandes Bittenccourt de Francisco, Ivan Lima Schonmann,  Ivanir  Cozeniosque, Ivone Rezende Coimbra,  José Manoel Rodrigues,  José Sylvio Modé,  Katia Cristina Bassichetto, Lari Leite, Lilian Amaral, Lourdes Sakotani, Lúcia Neto, Luciene Sans, Luiz G. R. Mota, Luísa Moritz Kon  Maria Pinto, Marcelo Arruda, Marcelo Bernardes, Marcelo Vicente Silva, Marco Timich, Maura de Andrade, Maura Takemiya, Mireille Lerner, Milena Timich, Miro Bampa, Noemi Moritz Kon, Osmário  Barreto, Paulo Cheida Sans, Paulo Pt Barreto, Pedro T. Maluf, Rafael Frankalbert  Piovesan, Raquel Fayad, Raquel  Luzetti, Roberto Schonmann, Rodrigo Chedid, Rodrigo Galvão, Rogério Ratão, Rubens Kon, Rubi, Ruth Kelson, Ruth S. Tarasantchi, Ruy Sauerbronn, Sergio Andrejauskas, Sergio Kon, Silvia Kon Costa, Susana Timich, Tarsila Nagao Mantovani, Tatiana Medoruma, Thereza Yogi, Thiago Francisco,  Tiago Rego, Wolf Gauer, Yuri Pinto

17 junho 2017

Convergências da Linha GRUPO 6 - Galeria Fernanda Perracini Milan - Jundiaí


DivulgaçãoGravura de Helena Bononi estará em exposição
Gravura de Helena Bononi estará em exposição
Em continuidade à série de exposição na Galeria Fernanda Perracini Milani, a secretaria de Cultura promove, neste sábado (1), às 10 horas, a abertura da exposição “Convergências da Linha”, do coletivo de artistas Grupo 6.
A mostra que fica aberta para visitação até 25 de setembro tem entrada gratuita e visa difundir a gravura, uma expressão artística que, segundo o Grupo 6, tem pouco espaço em salões e exposições institucionais, sendo muitas vezes confundidas com artesanato ou técnica de produção.
Os trabalhos pretendem mostra que este meio de expressão oferece possibilidades de expressão livre ao artista contemporâneo.
“Oferecer ao observador, na contramão do espetáculo, dos eventos públicos e mediáticos contemporâneos, um momento de contemplação, reflexão e silêncio. Um encontro de sensibilidades. Um momento para sermos bem mais que meros consumidores de arte. Um encontro com a experiência do fazer humano acumulado há séculos, é o que propomos”, explicam as artistas do Grupo 6.
O Grupo 6
O Grupo 6 é composto por artistas plásticos que trabalham juntos há vários anos no atelier de gravura em metal do SESC, sob a orientação do artista plástico e gravador Evandro Carlos Jardim. A estreita convivência e constante troca de experiências resultam, entretanto, em expressões e poéticas totalmente diferentes e em escolhas diversificadas de suportes, assim afirmando a sensibilidade única de cada um.
Ana Dora – Artista gráfica e gravadora nasceu em São Paulo, trabalhou como diretora de arte e jornalista antes de dedicar-se integralmente às artes visuais como gravadora. A gravura é a sua busca do artesanal que se escondia nos meio das máquinas industriais de onde veio. Iniciou na gravura na ECA-USP em 2001, com o gravador e impressor Antonio Albuquerque. Seus trabalhos estão em coleções particulares em diversos países.
Angela Rocha – Tem trabalhado e pesquisado, sendo arquiteta e professora na FAUUSP na área de representações, as questões da produção de imagens: formas e sentidos, espaços e superfícies. As pinturas e gravuras aqui presentes materializam imagens e formas e esses pensamentos visuais podem ser compartilhados: cor e matéria, enquanto linhas ou manchas, na pintura ou na gravura, podem se abrir para diversas leituras.
Carlos Zambon – Vem desenvolvendo ao longo de quase 10 anos um trabalho focado na forma/reminiscência das árvores da cidade em que mora (São Caetano do Sul), e através da trama das hachuras revela no claro e escuro a beleza dessas formas. Realiza gravuras há aproximadamente 13 anos, tendo sido premiado em duas ocasiões: em 2001 e 2005, na Bienal de Gravura de Santo André.
Giovana Inácio – Formada em Artes Plásticas pela Unicamp. Trabalha com desenho, pintura e gravura. Sua principal fonte de pesquisa é a linha, com todos os seus desdobramentos e possibilidades. A linha que dá forma e conteúdo à poética do cotidiano, a linha que constrói o universo interno e projeta-se no mundo através do desenho manifesto, traduzindo graficamente o que os sentidos apreendem.
M. Helena Bononi – Busca uma relação intensa e imediata com o seu meio de expressão baseada em suas impressões da realidade. Participou de diversas exposições nacionais e internacionais.
Maria Pinto – Artista plástica, premiada em aquarela e gravura, com obras em acervos nacionais e internacionais, mostra nessa exposição formas orgânicas impressas.
Serviço
Convergências de Linha
Artista: Grupo 6
Abertura: Sábado, 1 de setembro, às 10 horas
Local: Galeria Fernanda Perracini Milani – Teatro Polytheama
Período: 1 a 25 de setembro de 2012

16 maio 2017

palestra sobre o projeto DIÁLOGOS na Oficina Cultural Oswald de Andrade - SP



Palestra

Dia 18 de maio às 19h no

auditório da Oficina Cultural

 Oswald de Andrade

                                                                                      Diálogos   
Um olhar sobre a escola de Xilografia do Horto

Apresentação das 418 impressões originais das matrizes da Escola de Xilografia, que existiu na década de 40 em São Paulo dentro do parque Alberto Löfgren (Horto Florestal) e que pertence ao acervo do Museu Florestal Octávio Vecchi.  A escola formou alguns gravadores como José Cruz, Waldemar Moll, que trabalhou nessa profissão na revista “Chácaras e Quintais” e Itajahy Martins. Seu professor Kohler também influenciou a gravura de Lívio Abramo.

Projeto realizado pelas artistas Maura de Andrade e Maria Pinto, em 2011 com apoio do ProAc.

09 março 2017

instalação Toque e exposição Mais que Humanos - prorrogada até 28 de abril - SP

20 dezembro 2016

Metropolis no Salão Sansovino da Biblioteca Marciana, Veneza, Itália



COMUNICATO STAMPA
Prorogata fino al 28 febbraio 2017  la mostra
"Metropolis e le Edizioni d'Arte
del Centro Internazionale della Grafica di Venezia"
Sale Monumentali della Biblioteca Nazionale Marciana

Considerato il lusinghiero successo di critica e di pubblico (già 3.000 visitatori in meno di due settimane!) la Biblioteca Nazionale Marciana, ha deciso di prorogare fino al 28 febbraio la mostra "Metropolis e le Edizioni d'Arte del Centro Internazionale della Grafica di Venezia", a cura di Atelier Aperto.
La mostra, organizzata in collaborazione con il Centro Internazionale della Grafica di Venezia in occasione della donazione alla Biblioteca, da parte del Centro, del grande libro Metropolis, espone un libro d'artista nel quale sono riunite le opere di 303 artisti internazionali che hanno creato una loro interpretazione grafica sul tema. 
Entrata dal Museo Correr con biglietto integrato ai Musei Civici
Orario: 10.00 – 17.00 (biglietteria 10.00 – 16.00)


Please note the press release here below.

PRESS RELEASE
The exhibition "Metropolis and the Art Editions of
the Centro Internazionale della Grafica di Venezia”
extends until 28 February 2017 in the Monumental Halls of the National Marciana Library.
In consideration of the great success of critics and audiences (3,000 visitors in less than two weeks!) the National Marciana Library has decided to extend the exhibition "Metropolis and Art Editions of the Centro Internazionale della Grafica Venezia" curated by Atelier Aperto until 28 February 2017.
The exhibition in collaboration with the Centro Internazionale della Grafica is intended for celebrating the donation of the big book Metropolis to the Library by the Centro. You can appreciate an artist's book in which the works are brought together by 303 international artists who created their graphic interpretation on the subject.
Entrance from the Museum Correr with integrated ticket for Civic Museums
Timetable: 10.00 - 17:00 (Ticket Office 10:00 to 16:00)



Il seguente link vi porterà sulla pagina Flickr di Venezia Viva in cui potrete sfogliare le nuove foto della inaugurazione del 13 gennaio 2017.
 
The following link will take you on the Venezia Viva Flickr page then you can see the new photos of the Opening on Friday 13 January 2017.


Cari amici, Dear friends,



Vi segnaliamo che
saranno esposti nel salone Sansovino della Biblioteca Nazionale Marciana il grande libro METROPOLIS e i libri d'artista del Centro Internazionale della Grafica di Venezia.

Inaugurazione: venerdì 13 gennaio 2017, ore 17.00
nel Salone Sansovino della Biblioteca Marciana - Piazza San Marco, Venezia


Please note that
The big book METROPOLIS and the artist's books of the Centro Internazionale della Grafica di Venezia will be exhibited in the Sansovino hall of the National Marciana Library.

Opening: Friday, January 13, 2017, 5 pm
in the Sansovino hall of the 
National Marciana Library- Piazza San Marco, Venice




Vi aspettiamo! See you there!

Il seguente link vi porterà sulla pagina Flickr di Venezia Viva in cui potrete sfogliare le nuove foto dei movimenti delMetropolis.
The following link will take you on the Venice Viva Flickr page then you can see the new photos of the movements of the Metropolis.

24 outubro 2016

Projet ferme ta boîte en France - Uzès - França


Trois-Rivières, 24 octobre 2016 – Le projet de la Biennale internationale d’estampe contemporaine de Trois-Rivières (BIECTR), Ferme ta boîte, sera présenté à la Médiathèque d’Uzès du 8 novembre au 10 décembre 2016 lors de la 5e édition de la Biennale SUDestampe de Nîmes. Ce projet collectif de création demandait à des artistes d’imprimer leur imaginaire ou leur interprétation de l’expression québécoise « ferme ta boîte » sur la forme dépliée d’une boîte en papier récupéré.
Exposées pour la première fois en 2015 à Trois-Rivières, les petites boîtes de plus de 400 artistes provenant de 23 pays seront à nouveau mises en valeur en France grâce à l’artiste Kikie Crêvecoeur, commissaire européenne du projet. Élisabeth Mathieu, présidente et directrice artistique, ainsi que Jo Ann Lanneville, administratrice et co-commissaire du projet assisteront au vernissage et à plusieurs événements de la 5e Biennale SUDestampe. De plus, elles multiplieront les rencontres à Paris et à Nîmes afin de perpétuer des liens et de créer de nouveaux contacts en sol français. Ce séjour est possible grâce au soutien financier du CALQ et de la Corporation de développement culturel de la Ville de Trois-Rivières. Elles seront accompagnées par Myriam Maltais, une des artistes de la relève qui ont participé au projet. La jeune diplômée en arts de l’UQTR a obtenu un financement par Les Offices jeunesse internationaux du Québec (LOJIQ) pour parfaire son expérience au niveau professionnel et promouvoir son travail outre-mer.
Ce premier projet avec la Biennale SUDestampe de Nîmes démontre bien la volonté de l’équipe de la BIECTR de bonifier son travail de diffuseur de l’estampe contemporaine en développant des projets de collaboration internationale.

Date d’exposition : 8 novembre au 10 décembre 2016
Vernissage : 8 novembre 2016 à 18 h à la Médiathèque d’Uzès

sudestampe.fr

Para os amigos que estiverem pela região.

21 outubro 2016

Metrópolis, agora em Nebrasca, EUA


exposição Metropolis no
dia 21 de outubro de 2016 às 18h, 
2055 'O' Street, Lincoln - Nebrasca, E.U.A.   
veja o catálogo nesse link:

The exhibition Metropolis will take place October 21, 2016 at 6 pm in Constellation Studios, 2055 'O' Street Lincoln - NE, USA.
In attachment you can see the catalog.
see the catalog here